OFICINA

SOFRER OU NÃO SOFRER, EIS A QUESTÃO!

Release-diálogo

Oficina Sofrer ou não sofrer, eis a questão!

Liberdade Criativa desmascarando sofrimentos.

A seguir, uma conversa entre duas pessoas em uma cafeteria.
Sinta-se livre para que sua imaginação decida quem são essas pessoas,

em que cafeteria estão e em qual período do dia você está ouvindo este diálogo:


- Olha só, é papo pesado, mas lá vai. Você já se deu conta de que nós, humanos, sofremos há tanto tempo, que o sofrimento já é parte do nosso modo de vida?

- Sim, e por mais que ele nos machuque, tenho a impressão de que já nos acostumamos. Ele já é referência pra gente se definir como pessoa.

- Eu estava pensando outro dia... Ao longo da história da humanidade, alguns seres humanos, ditos especiais, afirmaram ser possível viver sem sofrer.

- É, eu sei. Buda, Cristo, Lao Tsé, um tal Krishnamurti e outros. Até Nietzsche parece que andou por aí. Mas, apesar deles, continuamos sofrendo e fazendo sofrer. O sofrimento é muito valorizado, tanto individual como coletivamente.

- Concordo, eu vejo isso. É como um troféu, só que um troféu que inferniza o cotidiano de nossas casas e do mundo afora. Conflitos, desentendimentos, brigas, guerras...

- ...medo, irritação, incerteza, tristeza, mágoa, frustração, neurose, estresse, cada vez mais invadindo nossas alegrias, nossa felicidade. A vida está muito chata!

- Outro dia alguém disse que fugimos do sofrimento nos entretendo com arte, religião, ideologia, drogas, consumismo. Só que quando o tal do entretenimento chega ao fim, o sofrimento vem mais forte e mais pestilento.

- Mas não tem muita saída. A vida e o ser humano são assim mesmo, e não há o que fazer, a não ser tentar se proteger, dar umas escapadas.

- Não sei... Será que precisa continuar sendo esta sofrida luta pela sobrevivência física e psicológica? Sempre com medo de que a qualquer momento alguém, ou algum sentimento dentro de nós, possa se tornar uma ameaça?

- Bem, ok, tenho aqui meus medos, sofrimentos, mas fico na minha e não abro mão do meu desejo de paz, felicidade, bem-estar pessoal. Ah, e até social, viu?

- Hum, sei... Tudo muito bem engaiolado nas ilusões dos egoístas mundinhos pessoais e tribais, né? Os outros que se f...

- Pô, tá pegando pesado! Que responsabilidade eu tenho com o sofrimento humano?

- Toda! Você é ser humano, não percebeu? Todo ser humano nasce, come, bebe, defeca, urina, transa, sente dor, prazer, sofre e morre. Só muda o jeito, conforme a cultura, mas no fundo, nada de diferente. Você sofre porque há sofrimento na humanidade.

- Ok, vai em frente.

- Pensa bem. Viver é relação, seja consigo, com os outros, com fatos ou situações. Quem sofre, fatalmente irá fazer sofrer. É óbvio. Só existe sofrimento em relação a alguém ou a alguma coisa. É nas relações que o sofrimento se espalha feito epidemia, intoxicando o mental do mundo.

- Vem cá, será possível nos livrarmos das garras do sofrimento? Ou aprendermos a não sofrer com ele?

- Gostei disso, de não sofrer com o sofrimento! Olha, tem um cara aí que diz que sim, e que é por uma tal de Liberdade Criativa.

- Ah, criatividade. Mas isso é pra quem tem algum dom artístico.

- Ele diz que não é assim, que ela é para todos, mas poucos se dão conta. Para a maioria, ela ficou para trás, lá na infância. Não nos ensinam a percebê-la, a lidar com ela, a usá-la como nossa ferramenta para viver e agir no mundo. Segundo ele, criatividade tem um alcance muito maior na vida. É liberdade capaz de fazer uma revolução psicológica.

- E o sofrimento?

- Aí é que está. Ele diz que pela liberdade criativa é possível desmanchar o sofrimento. Segundo ele, ela atua através dos insights, a tal meditação. Com ela abordamos os problemas pessoais, profissionais e sociais de forma mais ampla, holística, promovendo o autoconhecimento e a quebra de padrões e condicionamentos mentais opressores.

- Interessante. Dá a sensação de ser possível uma vida e um mundo mais leves.

- Pois é, mais lúcido e fraterno, sem tanto egoísmo e suas crueldades. Olha, dá uma olhada no que eu anotei sobre a Oficina dele.

Na Oficina, que é individual e tem duração de 3 encontros de 4 horas cada:

Abordaremos a liberdade criativa como espaço de atenção, observação e ação na vida, para desmanchar medos, conflitos e sofrimentos desnecessários.

 

Investigaremos: memória, ego e identidade - medo e liberdade - padrões e condicionamentos mentais

o sofrer e o pensamento - vida versus narrativa de vida - sofrimento pessoal e coletivo observação e atenção - o silêncio e o não tempo - meditação e insight.

Vivenciaremos procedimentos cotidianos simples, a fim de desmanchar as nuvens do sofrer e trazer um novo olhar sobre as relações pessoais, profissionais e sociais.

Ações, onde corpo, respiração, fala, escrita e atividade com argila aguçam a percepção, promovem insights e ativam inteligência criativa.

- E ele diz que os encontros são no clima de amigos que se interessam mutuamente.

- Gostei disso! E o cara cobra? Quanto custa, hem?

- Claro, uai. Nós sabemos muito bem que não existe almoço grátis pra ninguém. E é bom lembrar que a oficina é individual. Aqui, ó, também anotei:

Valores:


Você vem até aqui: R$ 730,00     -     Vou até você: R$ 980,00

Atendimento extra para problemas e questões específicas, após a Oficina (2 horas):
R$ 150,00

3x no crédito - 5% desconto no débito ou crédito à vista - 10% desconto para transferência bancária.

- E quem é o cara?

- Rubens Curi, um artista multilinguagem. Ele conta que em seus quarenta anos de carreira vem investigando os efeitos dos conflitos na vida real e na vida interpretada pela arte. E também, que pesquisando pessoas criativas, que ao longo da história propuseram algo de relevante para a sanidade da humanidade, entendeu que o sofrimento: é desperdício de vida; produz danos que atingem a nós e aos que nos cercam, angustiando as relações; turva a beleza do viver e corrompe a criatividade; um desnecessário inferno na vida dos seres humanos. Olha aqui os contatos dele.

RUBENS CURI – rubensmcuri@gmail.com
(55) (11) 3284-9581 / 9.4213.2483 (WhatsApp)
Largo do Paissandu, nº 51, apto 1602, Centro, São Paulo/SP – 01034-01
www.rubenscuri.com

www.rubenscuri.com/blog
www.facebook.com/rubens.curi
www.instagram.com/rubens_curi

www.youtube.com/rubenscuri
 


- Muito bom. Valeu! Você vai fazer a oficina?

- Vou. E você?

- Vou pensar, mas fiquei bem a fim.

- Mais um café?

- Opa, simbora, e sem sofrimento!

rubensmcuri@gmail.com - (11) 3284-9581 / 9.4213.2483

Largo do Paissandu, 51, apto 1602, Centro, São Paulo/SP

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram

© 2015 by Rubens Curi

Inscreva-se aqui!
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now